Transparência na maioria das cidades da Copa é muito baixa, diz pesquisa

Fonte: Carta Capital (9.nov.2012) | Autor: Piero Locatelli | Foto: Antonio Cruz/ABr

A transparência de informações públicas em dez das doze cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 é muito ruim, segundo pesquisa do Instituto Ethos divulgada nesta sexta-feira 9. A pesquisa mede a disponibilidade dos dados públicos e a participação da população nas decisões sobre a Copa.

O instituto não considerou satisfatório o desempenho das 12 cidades. Nenhuma delas divulgou relatórios sobre o impacto social das obras. Além disso, as prefeituras também não publicaram as justificativas necessárias quando licitações são dispensadas e os serviços são contratados sem a concorrência exigida pela lei.

Belo Horizonte e Porto Alegre foram as únicas cidades com desempenhos considerados médios pelo instituto. Os dois municípios se destacaram porque contam com informações bem organizadas e disponíveis em um único site.

O pior desempenho entre todas as cidades foi o de Cuiabá, que cumpriu 10% das metas. Apesar do desempenho ruim, outras cidades tiveram algumas boas medidas, segundo Paulo Itacarambi, vice-presidente do instituto. Manaus, por exemplo, foi a única a disponibilizar todas atas da reuniões sobre o evento.

Os indicadores podem ser consultados em detalhes no site do projeto Jogos Limpos, feito pelo Ethos. A próxima pesquisa com esses indicadores deve ser divulgada em junho de 2013, pouco antes da Copa das Confederações.

O ranking da transparência, com a nota de cada cidade:

1º – Porto Alegre – 48,87
2º – Belo Horizonte – 48,44
3º – São Paulo – 18,36
4º – Natal – 15,35
5º – Curitiba – 15,24
6º – Rio de Janeiro – 14,98
7º – Salvador – 14,45
8º – Brasília – 14,29
9º – Recife – 14,01
10º – Fortaleza – 13,94
11º – Manaus – 13,01
12º – Cuiabá – 10,17