Agências cortam verba e fecham órgão que mede gastos com publicidade estatal

Fonte: Monitoramento existia desde 1999, na gestão FHC; março foi o último mês da entidade responsável; Temer já licitou R$ 2,1 bilhões em propaganda (11.05.2017) | Autoria: Luiz Felipe Barbiéri e Gabirel Hirabahasi

O IAP (Instituto para Acompanhamento da Publicidade) acabou em março. A entidade fornecia uma coleta de dados sobre propaganda estatal federal de maneira centralizada desde 1999.

Era financiado por 1 pequeno percentual extraído do faturamento de agências com contratos de publicidade no âmbito federal. Mas as agências decidiram fechar as torneiras. Quem puxou a fila foi a Propeg.

(…)

Inexiste legislação que obrigue as agências a pagar a contribuição ao IAP. Mas isso dava grande transparência ao processo bilionário da publicidade estatal federal.

[Leia a reportagem completa no Poder360]